Noz-moscada | Especiaria originária da Indonésia

Até meados do século XIX a única fonte mundial de noz-moscada
eram as pequenas ilhas Banda nas Molucas, Indonésia.


Utilizada desde o tempo dos romanos, a noz-moscada
era uma das mais valorizadas especiarias na Idade Média,
utilizada em noz e em *macis como tempero
e conservante na culinária e na medicina.

Foto: http://temperaria.com.br/serie-temperos-noz-moscada/


Vendida por mercadores árabes à República de Gênova
era distribuída na Europa a preços exorbitantes.
Como os mercadores nunca divulgavam a localização exata
da sua fonte, nenhum europeu conseguia deduzir a sua origem.

Em nome do Rei de Portugal, em agosto de 1511 Afonso de Albuquerque
conquistou Malaca, que era ao tempo o centro do comércio asiático.
Conseguindo obter a localização das ilhas Banda,
enviou uma expedição de três navios comandados
pelo seu amigo de confiança António de Abreu para as encontrar.

Pilotos malaios guiaram os portugueses via Java
até Banda, onde chegaram no início de 1512.
Sendo os primeiros europeus a chegar às ilhas, aí permaneceram
durante cerca de um mês, comprando e enchendo
os seus navios com noz-moscada e cravinho.
Mais tarde a noz-moscada e o macis seriam negociados
também pelos holandeses, passando depois a ser cultivada
na Índia, na Malásia, nas Caraíbas e noutras regiões.

*Macis: é a casca da semente da noz-moscada.
Para extrair o macis, é necessário
deixar secar o fruto da moscadeira, a noz-moscada,
durante alguns meses. Após esse período, a casca
separa-se do fruto, sendo possível extrair o macis,
que em seguida também é deixado a secar, para poder ser prensado.
O produto final obtido possui uma cor avermelhada.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Noz-moscada

Postar um comentário