Bouillabaisse | Prato da Culinária da Francesa

Bouillabaisse é uma prato típico da culinária da França,
comum na região do Mediterrâneo, que consiste
de uma sopa ou guisado preparado à base de peixes brancos sortidos,
filetes de peixe, vegetais e ervas aromáticas.


Trata-se, na verdade, de dois pratos: uma sopa, em que
se serve o caldo sobre fatias duras de pão de véspera;
e um prato de peixe e vegetais.


Foto: http://www.bigoven.com/recipe/bouillabaisse-mditerrane/173295


Uma das sopas mais famosas do mundo é a bouillabaisse,
originária de Marselha, cidade e porto do Mediterrâneo.
A história popular da origem dessa sopa sugere que Vênus,
deusa da beleza, serviu bouillabaisse a seu marido,
Vulcano, para colocá-lo para dormir
enquanto tinha um encontro amoroso com Marte.

Escritores gregos argumentam que, por volta do ano 600 A.C.,
os fundadores de Marselha levaram consigo da Grécia a receita
de uma sopa de peixe conhecida como kakavia,
que serviu de base para a futura bouillabaisse.
Saiba mais sobre Bouillabaisse
prato típico da culinária da França


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bouillabaisse

Crepe | Crêpe | Cozinha francesa

O crepe, palavra que vem do francês crêpe,
derivada do latim crispus, que significa crespo,
é um tipo de panqueca feito a base
de farinha de trigo, leite e ovos.


A massa é preparada de forma que possa formar
uma camada delgada no fundo duma frigideira apenas
pincelada com manteiga ou outra gordura.
O crepe é geralmente comido depois de enriquecido
com algum recheio, que pode ser doce ou salgado.
Os restaurantes que servem crepes
são normalmente chamados de creperias, ou Casa de Crepes.

Foto: http://www.moramaycrepeemassa.com.br/crepe_7.html


Os crêpes são originários da Bretanha,
depois do trigo-mourisco ter sido introduzido
naquela região no século XII, e eram
primeiro chamadas “galettes”, que significa “bolos achatados”.

Os crêpes de farinha branca só apareceram no início do século XX,
quando a farinha de trigo se tornou acessível, assim como o açúcar;
estes crêpes são tão finos como as galettes de trigo-mourisco,
mas são mais macios, por serem
confecionados com ovos, leite e manteiga.
Na Bretanha, os crêpes e as galettes
são tradicionalmente servidas com sidra.
Saiba mais sobre o Crepe
tipo de panqueca feito a base
de farinha de trigo, leite e ovos.


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cr%C3%AApe

Chicharrones | Cozinha Cubana

No Brasil é conhecido como torresmo.
São obtidas com a carne de porco frita
com a pele e cortada em cubos.


Foto: https://www.youtube.com/watch?v=-grzmsG06yI


Esse prato é normalmente servido como acompanhamento.
É comum consumir o Chicharrones com *arroz congrí,
ou cozido junto com o arroz, também com banana frita,
carne, mandioca, entre outros alimentos.
É dos alimentos-base da gastronomia cubana.

*Arroz congrí: O congrís trata-se de arroz com feijão vermelho,
cozidos na mesma panela.

Fonte:
http://culinarianomundo.blogspot.com.br/2012/12/comidas-tipicas-cuba-pratos.html

Sorte | A Força que modela eventos.

A definição de sorte costuma variar
conforme o contexto emocional, filosófico,
religioso ou místico, de quem a interpreta.


Segundo o clássico dicionário Noah Webster,
Sorte é "uma Força sem propósito, imprevisível
e incontrolável, que modela eventos de forma favorável
ou não para determinado indivíduo, grupo ou causa".
Já o autor Max Gunther a define como evento ou série de eventos,
aparentemente fora de nosso controle, que influencia(m) nossas vidas.

Foto: http://www.badulaquemix.com.br/atitudes-para-atrair-sorte-em-2014/


O conceito em torno da sorte é um quase-sinônimo de destino,
exibindo como principal diferença a divisão entre "boa sorte"
e "má sorte" (quando se fala em destino, essa divisão é inadmissível)
remetendo fatalmente, a um maniqueísmo mundano,
provavelmente controlado por forças sobrenaturais.

No entanto, imaginar que existe sorte é supor que existe
a possibilidade de alteração do destino, conforme determinadas
condições que geram os eventos (merecimento por exemplo)
já que destino é que é o sinônimo de fatalidade, programação
ou desígnio imposto por forças maiores, afetados
por nossa atuação direta ou indireta.
Saiba mais sobre a Sorte,
uma Força sem propósito, imprevisível
e incontrolável, que modela eventos de forma favorável
ou não para determinado indivíduo, grupo ou causa.


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Sorte

Foie gras | Iguaria da culinária francesa

O foie gras – termo que em francês significa "fígado gordo"
é o fígado de um pato ou ganso que foi super-alimentado.


Junto com as trufas, o foie gras é considerado
uma das maiores iguarias da culinária francesa.
Possui consistência amanteigada e sabor mais suave
em relação ao fígado normal de pato ou ganso.


Foto: http://www.dartagnan.com/how-to-sear-foie-gras.html


Até o início do Século XXV a.C. é possível
que os antigos egípcios procurassem os fígados
engordados das aves migratórias como uma iguaria.
Eles rapidamente aprenderam que muitos pássaros
poderiam ser engordados através da superalimentação
e começaram a prática em gansos.

Na necrópole de Saqqara, a tumba de Mereruka,
um importante oficial real, contém um baixo relevo
de uma cena onde escravos apertavam o pescoço de gansos
para empurrar-lhes pelotas de comida goela abaixo.
Ao lado dos escravos havia pilhas com mais pelotas,
provavelmente feitas de grãos, e um frasco com água
para umedecê-las antes de dar aos gansos.
Saiba mais sobre Foie gras, uma Iguaria francesa

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Foie_gras

Açorda à alentejana | Culinária portuguesa.

Açorda à alentejana é uma sopa típica do Alentejo
que, ao contrário da maioria das sopas, não é cozinhada.


A receita de açorda não é universal, já que muda de zona
para zona e mesmo de família para família.


Foto: http://pt.petitchef.com/receitas/acorda-a-alentejana-acorda-de-alho-ou-acorda-de-coentros-fid-1382778


A composição básica da açorda é alho, sal, azeite,
água em ebulição e pão fatiado, no entanto a esta mistura
acrescentam-se ervas aromáticas como o coentro ou o poejo (hortelãzinho)
e pode servir-se com peixe fresco (cozido ou frito),
bacalhau ou ovo (escalfado ou cozido).

O processo de confecção passa pelo pisar do sal com a erva
aromática e o alho, mistura à qual se acrescenta azeite.
Deita-se depois por cima a água onde se cozeu o acompanhamento,
ainda fervente, e deita-se pão alentejano fatiado.

A açorda à alentejana foi um dos candidatos finalistas
às 7 Maravilhas da Gastronomia portuguesa.

Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/A%C3%A7orda_%C3%A0_alentejana

Carne-seca | Jabá | Carne do Ceará

A carne-seca é uma das formas
mais antigas de conservação de alimentos
para os povos de caçadores e pastores nómadas.


Tradicionalmente, seca-se carne de porco, vaca,
carneiro, rena, peru, cavalo, avestruz e camelo,
entre as espécies domesticadas,
para além de várias espécies de animais selvagens.

Existe evidência arqueológica de que
o homem-de-neandertal secava carne de mamute.

Foto: http://www.clickgratis.com.br/fotos-imagens/carne-seca/


A forma mais simples de se conservar carne consiste
em cortá-la em pedaços que se possam colocar
num lugar onde o ar seco retire a umidade da carne,
mesmo sem qualquer espécie de cura; isto só é possível
em climas que tenham uma estação seca e fria,
como no norte da Europa, ou na Mongólia,

No Brasil, a carne-seca também é chamada carne do ceará, jabá.
São mantas de carne, em geral carne bovina, submetidas
a processo de salga, e empilhadas em lugares secos,
para desidratação e melhor conservação.
São muito consumidas em receitas de norte a sul do Brasil,
mas principalmente do Nordeste.
Saiba mais sobre a carne-seca

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Carne-seca